sexta-feira, 26 de março de 2010

Portugal nas trincheiras -1ª Guerra Mundial



Decorre em Lisboa uma Exposição sobre Os Portugueses na 1ª Guerra Mundial. Assisti nesta semana no Cinema S.Jorge à exibição de curtos documentários da época sobre os exercícios, treinos, partida dos militares para a Fandres. Depois seguiram-se palestras muito interessantes sobre este tema. E fica em mim e em todos que ali estiveram um bocadinho em presença daquela horrível realidade, um sentimento de aniquilamento, um arrepio perante tanto sofrimento, um nojo para com aqueles que empurram os seus irmãos, seres humanos para situações tão degradantes e miseráveis.
Em Cascais foi erigida em 1921 um monumento aos mortos desta Grande Guerra. Aos mortos da Guerra Colonial não...esta não existiu?

5 comentários:

Luciano Valadim disse...

Boa noite,
Cascais ... Monumento aos Combatentes da Guerra do Ultramar ... já se esqueceram dos filhos do Concelho. Infelizmente, naquela guerra, tombaram 16 militares naturais do concelho de Cascais. Talvez, as entidades oficiais do Concelho "não sabem" ou "esqueceram-se" que houve um conflito que durou 13 anos. Nós, antigos combatentes, não os esqueceremos.
Os nomes dos heróicos militares estão no sítio http://ultramar.terraweb.biz/03Mortos%20na%20Guerra%20do%20Ultramar/LetraC/MEC_066n.pdf
Saudações veteranas
Luciano Valadim

caboporto disse...

Certas Rntidades Oficiais,
sao "imigrantes ou filhos de "imigrantes" a morte dos
nossos Camaradas nao lhes
interessa so lhes interessa
o dinheiro e outras "regalias"
Um veterano
PEREIRA GARCEZ

Abreu dos Santos (senior) disse...

Pela leitura deste blog, fiquei agora a saber que «decorre em Lisboa uma Exposição sobre Os Portugueses na 1ª Guerra Mundial».
Creio que um tal evento, se insere nas comemorações do Centenário da República.
Ora, no pretérito dia 16, o Memorial do Cartaxo foi derrubado e parcialmente danificado.
Perante um tal acto, perpetrado a mando do poder local, que tem a dizer o poder central?
Até ao momento, coisa nenhuma!

Abreu dos Santos (senior) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Santos Oliveira disse...

"Virita"

As exposições acerca de Combatentes inserem-se no espírito político da ocasião.
Vai comemorar-se o Centenário da República (algo que os políticos muito prezam) e não o Centenário da Primeira Guerra Mundial.
Mas como são escassos os sobrevivos (se ainda os há) da Primeira Guerra Mundial, toma-se esse tema sensível (mortos de Guerra) e de discussão actual, para manter mais anestesiada a verdadeira factualidade que é, também, dignidade de quantos defenderam a verdadeira Pátria, a Terra Nossa, que era representada pelo Ultramar.
Não se discute se era justo ou não; mas a realidade existiu e, infelizmente, ainda vai perdurar por uma quantidade de anos.
Enquanto forem vivas muitas vítimas do conflito, isto será assunto tabu para um Estado que deveria representar o Dever Pátrio (a Pátria), mas que, constato, eles não sabem o que é.
Mas que a Guerra no Ultramar existiu aí atesto essa questão. Eu estive lá.
Os Veteranos nem sequer pedem Monumentos, embora eles também dignifiquem as acções.Querem, sim, dignidade na sua condição de Combatentes.

Santos Oliveira