quarta-feira, 20 de maio de 2009

Como o tempo passa!


Sim passa e não se agarra! O tempo voa,esvai-se entre os dedos...mas subrepticiamente infiltra-se nos ossos.E então aí, pesa,carrega e a cada passada o tempo faz-se dolorido, bem sentido não deixando não ,ninguém voar! O voo sim fica para o espírito. Este em sentido inverso, solta-se e rompe pelos ares, procura na imensidão do azul a energia da vida e depois ...retorna. E eu qual vasinho de violetas multicolores abro as minhas pétalas e sugo a alegria de estar viva!

Um comentário: